Os guias estão de volta: um retorno bem-vindo do acessório primordial do mochileiro

Postado em 22 abril 2016

Albergues - Guias de viagem

É assim que a prateleira de um VENCEDOR se parece

Antigamente, os livros de viagem – Lonely Planet, Rough Guide, Fodor’s – davam a volta ao mundo nos feriados. Eles eram a bússola do mochileiro, o guia turístico do hóspede e a inspiração do mochileiro de sofá. Em qualquer momento que você fosse a um quarto de albergue, eles estavam lá.

Os guias de viagem dominaram o mundo no final do século XX, e todo mundo que era alguém tinha uma cópia batida e com orelhas da Indonésia, Canadá, Austrália, Europa ou África colocado em um lugar não tão sutil em sua prateleira de livros. Quanto mais detonado ele fosse, mais você teria viajado e mais interessante você era.

E então, a internet aconteceu. Boom. Subitamente, os guias de viagem ficaram de fora da aventura. Mas de acordo com a empresa de pesquisa de mídia Neilsen, as vendas no Reino Unido e nos EUA se recuperaram um pouco em 2015. O jornal Britain’s Financial Times informou:

As vendas de guias de viagens no Reino Unido para destinos estrangeiros foi 4.45 porcento maior em comparação ao ano anterior... Nos EUA, as vendas de guias de viagem diminuiram quase 7 porcento em 2014, mas em 2015 se recuperaram para crescer 1 porcento.

Tudo bem, é uma pequena recuperação... Mas isso mostra que os guias de viagem continuam vivos, e isso é o suficiente para nós. Aqui está uma lembrança do porquê os velhos e bons guias de viagem impressos dominavam o mundo...

1. Eles mantem a sua memória viva

Seu guia de viagem irá ficar com você pelo resto da sua vida. Outras lembranças vem e vão, mas sua velha cópia desgastada da viagem dos seus sonhos, com todas as anotações nas margens e os ingressos enfiados entre as páginas, vai durar até o fim. Tente ultrapassar isso Internet.

2. Pegou os mapas? Eles tem

Está tudo ótimo com um 4G confiável... mas o que acontece quando ele desaparece e você fica sem internet? Você está lá fora, sozinho, sem nada. Como você vai encontrar o caminho de volta para o albergue? Folheie o seu confiável mapa do guia de viagem e siga o caminho... é assim que você chegará lá.

3. Poste fotos, navegue e tropece

Você já leu alguma vez um pouco de texto em uma página na internet? Você fica online para encontrar informação perecível – média de preços, custos de viagens e essas coisas. Mas você fica online para ler sobre a cultura e história do lugar que você está visitando? Provavelmente não. Livros são diferentes. Quando você está relaxando, tomando uma cerveja em uma pequenina e bonita praça apenas com seu guia de viagem como companhia, você de certa forma está mais propenso a folhear suas páginas e absorver toda aquela informação básica.

4. Eles são um incrível iniciador de conversas

Nós dissemos que você só teria seu guia de viagem como companhia? Bem, digamos que há outro mochileiro naquela pequinina praça bonita e ele tem um guia de viagem parecido no mesmo idioma que oseu, e então de repente você percebe que conheceu um companheiro de viagem. Bingo! É uma forma de começar a conversa.

5. Nenhuma taxa de roaming para usar

Com um livro, você leva todos o dinheiro com você e tem tudo na palma da sua mão. Sem taxas de roaming, sem gastos de uso de internet em cafés, sem divagar e delirar com todo o lixo que cobre a internet. Está tudo com você, no bolso lateral da sua mochila, de fácil acesso e te custando precisamente nada.

6. É um livro!

O cheiro, o peso, a... folheabilidade. (O quê? Isso É uma palavra.) Os livros tem essa gloriosa qualidade hipster-minimalista-retrô e qualquer um carregando um instantaneamente se torna muito mais interessante do que um cara distraído no telefone. Abrace essa ideia!